Diálogo transformador sobre Direitos das Mulheres e Luta Antipatriarcal em Maricá

Compartilhe

Na quarta, dia 10 de abril, sob a orientação da Professora Lusmarina Campos Garcia, alunos e alunas do Curso de Formação do Programa Marielle Franco refletiram sobre direitos humanos, com foco na luta antipatriarcal e nos direitos das mulheres. Foram 48 servidores e servidoras na aula da manhã e 41 agentes de bairro e membros da sociedade civil na aula da tarde, mantendo o índice de presença e enriquecendo o debate, desta vez com o tema “Direitos Humanos e Luta Antipatriarcal: A luta pelos direitos das mulheres”.

 

 

A professora Lusmarina iniciou as aulas fazendo um histórico sobre de que maneira as construções sociais e históricas impactaram e influenciaram a diferença de poder entre homens e mulheres, e reforçaram a cultura patriarcal. Ela apontou que as mulheres levaram muito tempo até atingir seu processo de conscientização coletiva em relação a sua opressão, até que sua luta se solidificasse e fosse reconhecida no que hoje, conceitualmente, conhecemos como feminismo. Divididos em grupos e reunidos, alunos e alunas foram convidados a dialogar sobre o que entendem como feminismo e ouvir conceitos defendidos por autoras como Marcia Tiburi, Filósofa brasileira e autora da obra “Feminismo em comum”, e Carla Cristina Garcia, também brasileira e autora de “Breve História do Feminismo”.

 

Sobre políticas públicas voltadas às mulheres em Maricá

 

A Secretária da Mulher de Maricá, Luciana Piredda, participou das aulas nos dois cursos e, em sua fala, reforçou a importância de espaços como o do Programa Marielle Franco, ao reconhecer que a luta por uma sociedade mais justa e igualitária, precisa ser coletiva, e isso somente é possível através do conhecimento.

Luciana falou sobre as políticas públicas e atividades realizadas no município com relação ao tema. Ela destacou o trabalho realizado pelo Centro Especializado em Atendimento à Mulher (CEAM), que funciona há 12 anos e é composto por uma equipe técnica com psicólogas, assistentes sociais e terapeutas, e o Programa Recomeçar Sem Violência, que prevê um auxílio econômico para mulheres em situação de violência. Além disso, a Secretária da Mulher de Maricá também falou sobre a importância da criação de um sistema de políticas públicas para mulheres, a nível federal, de modo que todos os municípios brasileiros sejam beneficiados e não dependam apenas dos recursos municipais.

 

 

Após a fala da secretária Luciana, a professora Lusmarina retomou o debate, abordando o tema sobre a violência baseada no gênero. De acordo com Lusmarina Garcia, além das cinco formas de violência sofrida pelas mulheres reconhecidas pela ONU – a violência física, a psicológica, a emocional, a econômica e a sexual – há ainda a violência religiosa. Após a exposição da professora, as duas aulas finalizaram com relatos de casos pessoais ou de pessoas próximas, em depoimentos dos cursistas, vinculando as experiências vivenciadas aos conceitos apresentados na aula. 

 

 

Vem aí: “Direitos Humanos como Processos de Luta”

 

O próximo encontro dos servidores e servidoras e, também, dos agentes de bairro e sociedade civil será na quarta-feira dia 17 de abril. A aula será do professor Manuel Gándara Carballido e o tema é “Direitos Humanos como Processos de Luta”. O convite é para pensar os Direitos Humanos a partir da teoria crítica proposta por Joaquín Herrera Flores e outros autores.

 

Saiba o que ainda está previsto para esta edição dos Cursos de Formação em Direitos Humanos:

 

Curso de Formação em Direitos Humanos e Políticas Públicas para Servidores e Servidoras

 

Pela manhã, sempre das 9h às 12h

 

17/04 – DH como Processos de Luta;

24/04 – Direitos das Crianças;

08/05 – DH da População LGBTI+;

15/05 – DH das Populações Indígenas;

22/05 – Direito à Cidade;

29/05 – Abordagem dos DH nas Políticas Públicas de Maricá.

 

Curso de Formação em Direitos Humanos e Políticas Públicas para Agentes de Bairro e Sociedade Civil

 

Na parte da tarde, sempre das 14h às 17h

 

17/04 – DH como Processos de Luta;

24/04 – Direitos das Crianças;

08/05 – DH da População LGBTI+;

15/05 – DH das Populações Indígenas;

22/05 – Direito à Cidade;

29/05 – Análise de Políticas Públicas de Maricá incidentes em cada bairro a partir da metodologia proposta.

 

  • Os encontros serão todos na sede do Programa Marielle Franco, que fica na Rua Prefeito Hilario Costa e Silva, 248 – Eldorado, Maricá, RJ.

 

*Fotos de Raphael de Oliveira, do Programa Cultura de Direitos/SMPPDH.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *